A EM não pode me impedir de ser parte da família

Ina, 58, países Baixos

Eu moro no Nieuw Unicum, um centro na Holanda que oferece atendimento a pessoas com esclerose múltipla progressiva. Desde que me mudei para cá, fiquei muito mais independente. Consigo ajuda para as tarefas que consomem mais energia, como sair da cama ou tomar banho, ou seja, posso concentrar a minha energia nas coisas que mais gosto de fazer. Para mim, isso é qualidade de vida.

Quando morava em casa com o meu marido, eu era muito mais dependente dele, mas no Nieuw Unicum tudo fica perto. Assim, posso me deslocar sozinha e acessar o tratamento certo.

 

Agora eu perdi os movimentos do meu braço direito, então estou fazendo fisioterapia no Nieuw Unicum para aprender a usar o braço esquerdo, o que me deixará mais independente. Embora não consiga mais, dedico um tempo como voluntária na fazenda, participando de uma oficina criativa onde faço presentes sazonais e decorações para vender.

Minha família não aceitou muito bem a minha decisão de me mudar para o Nieuw Unicum, mas agora conseguem perceber o quanto a minha vida melhorou. Agora que o meu marido não é mais responsável por cuidar de mim, sou como qualquer outro membro da família, e podemos fazer coisas legais juntos.